Blog SAE Digital
tecnologia na educação

Tecnologia na educação: Como as gerações Z e Alpha estão transformando o ensino

Cada vez que uma nova geração surge, novos desafios são impostos na sociedade como um todo. Hoje, na educação básica, pelo menos duas gerações convivem e lançam desafios para o mundo educacional. São as chamadas gerações Z e Alpha, que exigem a presença constante da tecnologia na educação.

Com essas duas gerações já presentes nas escolas, a modernização do processo de ensino e aprendizagem é fundamental para estimular e tornar a participação desse jovem protagonista ativa na sociedade em que vive. Dessa forma, para ficar em sintonia com as novas gerações, as mudanças devem acontecer não só nas salas de aula, mas no ambiente escolar como um todo (gestão escolar, diretoria, equipe pedagógica, sistema de ensino…).

Quer saber quem é a geração Z e Alpha? Como elas se comportam em sala de aula? Qual a sua relação com a tecnologia? Nesse post trouxemos essas respostas. Vamos ler?

Geração Z

Nascida no final dos anos 90 e no início dos anos 2000, a geração Z é a primeira que nasceu em uma era majoritariamente digital e conectada. Hoje, parte dessa geração ainda está na escola, enquanto outra já está terminando a faculdade ou está entrando no mercado de trabalho.

Mais conhecidos como ‘nativos digitais’, eles não compreendem uma vida sem internet, velocidade, inovação e tecnologia, o que implica em mudanças nas estruturas corporativa e educacional, por exemplo.

Se os pais da geração Z acreditavam que trabalhariam sempre na mesma função, seus filhos não têm medo de mudar. Essa geração é responsável por ambientes corporativos menos hierárquicos, com horários mais flexíveis, trabalhos colaborativos e tecnológicos.

No ambiente educacional, essa geração é a que começa a sentir as primeiras mudanças (mesmo que pequenas) no processo de ensino-aprendizagem. Mesmo assistindo aulas no modo tradicional, os recursos tecnológicos começaram a ser utilizados e aos poucos a necessidade de modernizar esse processo foi sentida.

É somente com a geração Alpha que as mudanças ganham forma e a tecnologia na educação começa a ser utilizada mais intensamente. 

Geração Alpha

Assim como a geração Z, a geração Alpha – composta de crianças nascidas a partir de 2010 – também nasceu na era digital. Entretanto, a sua relação com a tecnologia é bem maior, pois seu uso é intuitivo.  Não é raro escutar algum pai ou mãe falando que o filho aprendeu a usar o smartphone ou o tablet antes mesmo de andar.

Essa é uma geração que não sabe como viver sem os recursos tecnológicos, e é nesse sentido que os desafios, nas mais diversas esferas da sociedade, são maiores. Nas escolas, essas crianças não vão aceitar o modelo antigo de aula – com todos enfileirados, anotando em seus cadernos o que o professor escreve no quadro. Esse formato não chama atenção, não os estimula, não impõe desafios.

A geração Alpha é adaptável, independente, mais autossuficiente e mais preparada para desafios. Além disso, muitos especialistas já antecipam que esse grupo será mais inteligente e mais criadores de conteúdo, produtos e serviços que as gerações anteriores.

Mesmo que ainda crianças, isso se explica pelo fato de que desde que nasceram recebem estímulos sensoriais a todo momento, seja por meio de animações, aplicativos, jogos interativos ou outros recursos que são disponibilizados facilmente.

Esse é outro motivo pelo qual dificilmente eles aceitarão o modo tradicional de ensino. O alto volume de estímulos que recebem desde cedo requer métodos de ensino mais modernos, dinâmicos, interativos e personalizados. Por isso, a tecnologia na educação é imprescindível para eles.  

Agora que você já sabe um pouco mais sobre as gerações Z e Alpha, listamos 3 dicas para melhorar o ensino e engajar esses alunos com o uso da tecnologia na educação.  Vamos conferir?

1. Hiperatualização

Hoje, por meio da tecnologia, temos acesso rápido a qualquer tipo de informação. Com apenas um clique sabemos – em tempo real (ou quase) – o que está acontecendo do outro lado do Atlântico.

Apesar da tecnologia exigir essa velocidade em várias esferas da sociedade, não é difícil se deparar com materiais didáticos que possuem conteúdos desatualizados. Para as gerações Z e Alpha isso pode ser desestimulante, pois o fato de já o terem estudado fazem com que percam o interesse no conteúdo, os impedindo de desenvolver algumas de suas habilidades.

Essas gerações estão conectadas com o mundo e querem ser protagonistas da sociedade em que vivem. Por isso é tão importante que as escolas e os sistemas de ensino estejam conectados às necessidades desses alunos.

Um material com atualização constante de dados e informações aproxima o estudante do mundo globalizado e estimula seu pensamento crítico, contribuindo para sua formação humana.

Como saber se o material didático da sua escola é realmente bom?

2. Tecnologia

O uso da tecnologia na educação é, sem dúvidas, um grande aliado para estimular os alunos dentro e fora de sala de aula. Além de melhorar o desempenho dos estudantes, os recursos digitais despertam maior interesse, prendem mais a atenção e, por consequência, aumentam a participação nas aulas.

A tecnologia também é um recurso que pode ser utilizado para aproximar o conteúdo estudado da realidade dos alunos, como determina a Base Nacional Comum Curricular. A presença das ferramentas digitais em sala contribui não só para o engajamento do estudante, mas também para a construção do conhecimento e para a inovação das práticas pedagógicas.

Imagine alunos da geração Z e principalmente os da geração Alpha em salas de aula desconectadas. É bem provável que eles não demonstrem interesse, não é? Então, como trazer a tecnologia para a rotina escolar? Quais recursos podem ser utilizados?

Realidade aumentada, jogos, livros digitais, vídeos, animações são apenas algumas das ferramentas que podem ser usadas no processo ensino-aprendizagem. No entanto, antes de utilizar alguma delas é importante lembrar que cada ferramenta deve ser adequada às necessidades de cada faixa-etária e de cada conteúdo a ser abordado.

3. Assessoria pedagógica

Um Sistema de Ensino bem estruturado e atualizado está preparado para auxiliar as escolas a enfrentarem os desafios que surgem no dia a dia da rotina escolar.  Mas de que forma essa assessoria pode contribuir com as mudanças provocadas pelas gerações Z e Alpha?  

No que diz respeito aos materiais didáticos, a assessoria pedagógica explora, junto ao corpo docente das escolas, todas as funcionalidades dos recursos tecnológicos ofertados e a melhor maneira de utilizá-los.

Além disso, ela promove a capacitação da equipe pedagógica – com treinamentos e cursos de formação – e realiza um acompanhamento permanente da instituição. Dessa forma, ela colabora com a atualização dos professores e com a melhoria da qualidade educacional.

E aí, você já tinha parado para pensar em como a tecnologia na educação é essencial para essas gerações? Você já teve alguma experiência com elas em sala? Deixe seu comentário aqui!

Quer saber mais sobre Tecnologia Educacional, por que utilizar e como implementar na sua instituição de ensino? Leia o nosso super post e saiba tudo sobre o assunto!

Banner-3-sistema-de-ensino

Fernanda Penteado

Jornalista. Apaixonada pelo mundo, cultura, tecnologia e educação.

Adicionar comentário

Baixe gratuitamente todos os materiais da BNCC!