Blog SAE Digital
Vista superior de um grupo de estudantes. Ilustrando o conceito de tecnologia educacional.

Tecnologia Educacional: Como ensinar para as novas gerações

Você diria que a Tecnologia Educacional trouxe mudanças para a sala de aula e para o processo de ensino e aprendizagem? Seria capaz de explicar os impactos em sua instituição – tanto na gestão escolar, quanto nas práticas pedagógicas? Este super post reúne tudo o que você precisa saber sobre Tecnologia Educacional: o que é, qual a sua importância, exemplos de utilização, como implementar em sua instituição de ensino etc. Além de uma série de orientações para que você possa integrar cada vez mais a tecnologia no dia a dia de sua escola.

Por que isso é importante? Se você é um profissional da educação que quer ensinar para as novas gerações, antes de mais nada é preciso compreender as mudanças nos hábitos, no comportamento e na realidade dos alunos de hoje. É preciso estar sempre buscando por atualização e novas maneiras de se comunicar.

E então, vamos aprender?

 

Ensinando para as novas gerações

É raro ver qualquer tipo de interação entre professor e alunos em sala de aula que ignore completamente as novas tecnologias. Mesmo em uma sala de aula desprovida de equipamentos de última geração, com o professor mais tradicional, a interação é sempre permeada por ela. E não poderia deixar de ser: além dos avanços tecnológicos que conquistaram as gerações X e Y (você se lembra como enviava mensagens e fazia planos com os amigos antes do smartphone?), os estudantes das novas gerações são nativos digitais. Isso significa que a maioria deles nunca conheceu um mundo sem internet, celular, Google ou redes sociais.

Se quiser se aprofundar no assunto, veja neste post como as gerações Z e Alpha estão transformando o ensino.

Assim como a tecnologia, a comunicação envolvida no processo de ensino e aprendizagem também está em constante transformação. Por esse motivo, não é mais possível estar diante de uma sala de aula com a expectativa de captar a atenção de toda uma turma de crianças e adolescentes e utilizando uma linguagem do século passado. Hoje, não é mais possível falar sobre ecologia, sem falar sobre sustentabilidade e tecnologias limpas. Ou falar sobre linguagens, sem mencionar os memes e as fake news. E esses são apenas alguns dos exemplos possíveis.

Para estabelecer uma comunicação verdadeira com a realidade dos estudantes das novas gerações, o processo de ensino e aprendizagem necessita, invariavelmente, levar em conta e valer-se da tecnologia. Dessa necessidade emergiu a Tecnologia Educacional. Pensada especificamente para trazer inovação e facilitar o processo de ensino e aprendizagem, ela aparece nas salas de aula de diversas maneiras: em novos dispositivos ou gadgets, softwares e soluções educacionais. Mais adiante vamos conhecer a fundo cada uma dessas maneiras. Mas antes… você sabe o que é Tecnologia Educacional?

 

O que é Tecnologia Educacional

A Tecnologia Educacional é um conceito que diz respeito à utilização de recursos tecnológicos para fins pedagógicos. Seu objetivo é trazer para a educação – seja dentro ou fora de sala de aula – práticas inovadoras, que facilitem e potencializem o processo de ensino e aprendizagem. O uso da TE tem sido amplamente discutido no meio acadêmico, na mídia e nos círculos sociais, espaços onde nem sempre é bem recebido. As maiores críticas dizem respeito à sua relação com o papel da escola e do professor e à dificuldade de acesso à tecnologia, especialmente nas escolas da rede pública e entre estudantes com menor renda familiar.

Mas, ao contrário do que pode parecer à primeira vista, o foco principal da Tecnologia Educacional não está sobre os dispositivos tecnológicos (a escola não precisa, obrigatoriamente, contar com os equipamentos mais modernos para trabalhar a TE), e sim sobre as práticas que o seu uso possibilita. Em outras palavras: ter bem definida a finalidade do uso da tecnologia em sala de aula é mais importante que os meios e recursos tecnológicos que serão empregados para tal prática.

E é aí que entra o papel fundamental do professor e do profissional da educação no emprego da Tecnologia Educacional: definir quais são os recursos e ferramentas mais adequados para a realidade de seus alunos, e também a forma mais relevante de os utilizar em suas práticas pedagógicas. Ainda assim, pode surgir a dúvida: com que objetivo um profissional da educação deveria inserir a tecnologia nas práticas pedagógicas e no dia a dia da sua instituição de ensino?

 

Tecnologia Educacional: por que usar?

Ao longo das últimas décadas praticamente todas as áreas da sociedade têm experimentado uma grande evolução tecnológica. Toda evolução compreende uma mudança na comunicação, nas relações sociais e, é claro, no processo de ensino e aprendizagem. Mas, como dissemos no tópico acima, a utilização da Tecnologia Educacional nem sempre é bem recebida – inclusive por educadores. A raiz dessa resistência talvez esteja na desinformação sobre as diferentes possibilidades que ela oferece à educação.

Listamos aqui alguns dos motivos para utilizar a Tecnologia Educacional em sua escola.

  • Ampliar o acesso à informação.
  • Facilitar a comunicação escola – aluno – família.
  • Automatizar processos de gestão escolar.
  • Estimular a troca de experiências.
  • Aproximar o diálogo entre professor e aluno.
  • Possibilitar novas formas de interação.
  • Melhorar o desempenho dos estudantes.

Existem diversos motivos pelos quais o uso da tecnologia pode melhorar o desempenho dos estudantes. Alguns deles são óbvios, como a capacidade de despertar o interesse dos alunos; outros, nem tanto. Se quiser conhecer os outros motivos, leia o post completo sobre o assunto.

 

Exemplos de usos da Tecnologia Educacional

A Tecnologia Educacional pode estar presente na educação de diversas maneiras, algumas delas são:

  • em gadgets (dispositivos), como a lousa digital, os tablets e as mesas educacionais;
  • em softwares, como os aplicativos, os jogos e os livros digitais;
  • e em outras soluções educacionais, como a realidade aumentada, os ambientes virtuais de aprendizagem e as plataformas de vídeo.

Diversas práticas e iniciativas educacionais apenas tornaram-se realidade com o uso da TE. A seguir, vamos falar um pouco sobre as possibilidades do uso da Tecnologia Educacional e as diferentes formas de como ela vem transformando a educação.

Ensino híbrido

A prática de combinar o estudo on e offline, conhecido como ensino híbrido, é uma grande tendência possibilitada pela Tecnologia Educacional. Ela confere maior autonomia aos estudantes, para que trilhem seus próprios roteiros de estudo, desenvolvam projetos ou atividades de sistematização e de reforço. Também é uma prática que incentiva e facilita que o aluno desenvolva o hábito do estudo diário, fora do ambiente escolar.

Sala de aula invertida

Na sala de aula invertida, o aluno traz para a aula o conhecimento prévio sobre o tema que será estudado, adquirido a partir de textos, vídeos, jogos e outros formatos de conteúdo recomendados pelo professor – quase sempre no meio digital. A construção e significação deste conhecimento, no entanto, acontecem em conjunto, na sala de aula. Assim como o ensino híbrido, a proposta da sala de aula invertida tem como objetivo colocar o estudante no papel de protagonista de seu processo de aprendizagem e da sua própria evolução, engajando também os outros membros do seu núcleo familiar.

Gamificação

A gamificação, assunto muito comentado no meio educacional nos últimos anos, consiste em utilizar elementos de jogos digitais (como avatares, desafios, rankings, prêmios etc.) em contextos que diferem da sua proposta original – como na educação. A principal vantagem apontada pelos profissionais da educação no uso da gamificação é o aumento no interesse, na atenção e no engajamento dos alunos com o conteúdo e as práticas propostas.

Personalização do ensino

A geração de dados educacionais é extremamente beneficiada pelo uso da TE, pois simplifica a aferição do desempenho e dos resultados de avaliações objetivas. A partir desses dados, é possível criar modelos de ensino personalizados, que estejam em sintonia com o momento real de aprendizagem de cada estudante. Assim, o professor tem uma noção mais clara do panorama da turma e pode agir individualmente e de forma personalizada sobre os pontos potenciais e de maior dificuldade de cada estudante.

Microlearning

Tanto para as novas gerações quanto para as anteriores, a enorme quantidade de informações com as quais temos contato diariamente ocasionou uma transformação na forma como consumimos conteúdo. Para que a atenção não seja desviada de pronto, este conteúdo aparece em nosso dia a dia de forma muito mais fragmentada, em vídeos e mensagens breves. Daí surge a expressão microlearning, que consiste na fragmentação de conteúdo educacional para que este seja melhor assimilado pelos alunos. O meio digital favorece este tipo de interação, por meio de vídeos, jogos, animações, apresentações interativas etc.

Quer conhecer outros exemplos de usos da Tecnologia Educacional e as principais tendências para este ano? Confira neste post.

 

Como inserir a tecnologia na minha escola?

Existem medidas essenciais para inserir a Tecnologia Educacional de maneira relevante no dia a dia de sua instituição de ensino. Elencamos algumas delas a seguir:

Diagnóstico

Antes de mais nada, é preciso entender os alunos e professores da sua escola. Em que momentos eles estão conectados? A partir de quais dispositivos? Quais são as redes sociais em que estão presentes e os sites que acessam? Essa investigação é essencial caso sua instituição pretenda estabelecer uma conexão verdadeira com os seus públicos e propor usos significativos para a Tecnologia Educacional.

Documentos normativos

As possibilidades para o uso da TE, bem como o destaque da sua importância, devem estar previstas dentro do PPP e em outros documentos normativos  da instituição de ensino.

Veja como montar o PPP de sua escola.

Investimento

É importante relacionar tudo aquilo que a escola possui de suporte para o uso da tecnologia, para daí desenvolver planos reais sobre as práticas que podem ser adotadas. Essa relação também deixa claro aquilo que é preciso melhorar e o investimento que pode ser feito com esta finalidade.

Capacitação

De nada adiantam os recursos tecnológicos sem uma equipe de professores e profissionais capacitados para extrair deles as melhores práticas pedagógicas. Por isso, a formação dos educadores para a tecnologia é primordial.

Diálogo

Uma ação importante é estimular o diálogo e a troca de experiências entre as equipes. Os professores sentem-se mais seguros, dispostos e motivados a utilizar a tecnologia quando compartilham das experiências de seus pares.

Segurança

É preciso estimular o uso consciente e seguro dos recursos digitais, por parte tanto das equipes da escola quanto dos estudantes.

Atualização

A partir do momento em que o professor identifica uma prática ou rotina que poderia ser inovada com o uso da tecnologia, também é importante pensar na atualização dos planos de aula que irão nortear essas práticas.

Neste post, listamos algumas ideias para atualizar os planos de aula e trabalhar a tecnologia de forma relevante e integrada ao dia a dia da turma. Não deixe de ler!

Como o Sistema de Ensino pode ajudar

As instituições de ensino esbarram em diversos desafios na hora de implementar a Tecnologia Educacional em seu dia a dia. Em geral, quando a escola possui um Sistema de Ensino, pode contar com um grande aliado na implantação de novas soluções, bem como no suporte pedagógico para desenvolver as suas atividades.

Conheça neste post 6 maneiras de como o Sistema de Ensino pode contribuir para a introdução da tecnologia na escola.

Agora que você sabe tudo sobre Tecnologia Educacional, que tal dividir com a gente as experiências da sua escola com o uso da tecnologia? Deixe um comentário!

 

 

Fernanda Andreazzi

Publicitária com um pé no jornalismo e outro no design. Apaixonada por livros e educação.

Adicionar comentário

Deixe uma sugestão!