Blog SAE Digital

Cotidiano escolar: como uma boa gestão pode tornar o dia a dia da escola mais feliz

Imagine que o Projeto Político Pedagógico da sua escola está desenhado, o material didático e os planos de aula já estão de acordo com a BNCC, os processos administrativos estão estruturados e os alunos e os professores estão interagindo na sala de aula. Parece que está tudo em ordem, não é mesmo? Agora, quem garante que tudo isso vai funcionar na prática, no cotidiano escolar?

Nem sempre as coisas saem conforme o planejado, e também é papel do gestor estar atento ao cotidiano escolar, olhando para todas as dimensões da gestão.  Afinal de contas, uma boa gestão pode deixar o dia a dia de sua escola muito mais produtivo e feliz. Quer saber como? Descubra neste texto!

Gestão escolar

A gestão escolar é uma atividade que possui muitas dimensões e envolve diferentes profissionais dentro de uma instituição de ensino. As tarefas vão desde o planejamento pedagógico até o desenvolvimento das funções administrativas. Já trouxemos aqui no blog uma série de posts sobre os pilares da gestão escolar. Você se lembra de todos eles?

De todos esses pilares, o da gestão do cotidiano escolar talvez seja o mais complexo e o mais difícil de se colocar em prática. O que você entende por gestão do cotidiano escolar?

Gestão do cotidiano escolar

A gestão do cotidiano escolar é o pilar que “costura” todas as outras dimensões da gestão escolar, pois o seu foco é sobre a aplicação prática de todo o planejamento da instituição de ensino. Ele se preocupa com a forma como as coisas realmente acontecem no dia a dia – e pensa como levar para a rotina, de forma significativa, tudo aquilo que foi desenhado nas dimensões administrativa e pedagógica.

Ainda parece muito abstrato? Vamos ver alguns exemplos da gestão do cotidiano escolar!

Na dimensão administrativa

Entre os diversos papéis da gestão administrativa podemos citar:

  • Elaborar o regimento interno e as normas de convivência.
  • Estabelecer uma rotina de entrada e saída da escola.
  • Organizar a grade horária.
  • Realizar o controle dos suprimentos e recursos da escola.
  • … e inúmeros outros.

Mas de que adianta tudo isso se as regras não forem combinadas e não ficarem claras para todos os alunos e professores logo no início do ano? Se os estudantes não perceberem a necessidade e a importância de respeitar as normas? Se não houver alguém observando e agindo sobre os comportamentos premiáveis e repreensíveis? Se o fluxo de entrada e saída não atender bem à rotina dos pais e dos alunos? Se os alunos se engajarem mais com atividades digitais, mas a escola continuar investindo apenas em recursos off-line?

Aí é que entra o papel da gestão do cotidiano escolar: o bom gestor estará presente no dia a dia sempre que possível, participando da rotina de entrada e saída, inspirando confiança nos familiares que deixam os alunos na escola, observando a dinâmica entre professores e alunos em sala de aula, oferecendo feedbacks valiosos para que se cumpra o planejamento administrativo e, o mais importante, pensando na necessidade de mudanças ou adaptações neste planejamento.

Na dimensão pedagógica

Já na gestão pedagógica algumas das funções desempenhadas pelo gestor são:

  • Articular a construção do Projeto Político Pedagógico (PPP).
  • Orientar e inspirar os professores no desenvolvimento do planejamento anual e dos planos de aula.
  • Garantir a adequação das práticas e dos materiais didáticos às legislações educacionais, como a BNCC.
  • Liderar a escolha do sistema de ensino ou do material didático utilizado pela escola.
  • Preocupar-se com o relacionamento entre escola, alunos e famílias.
  • … e várias outras.

Nessa dimensão, uma boa gestão do cotidiano escolar estaria constantemente presente assistindo à condução das aulas para garantir que, mais que ensinar conceitos, os professores estejam desenvolvendo habilidades, partindo de problemas reais do cotidiano dos alunos para trabalhar os conteúdos e aplicando na prática todo o planejamento construído a partir da BNCC.

Além disso, é papel do gestor fazer valer o Projeto Político Pedagógico para que a escola não perca de vista seus objetivos, seus diferenciais e sua visão. Também é importante envolver e escutar alunos e famílias não apenas na rotina escolar, mas nas decisões estratégicas da instituição, como a revisão do PPP e a decisão do sistema de ensino.

Veja como montar o PPP de sua escola.

A “gestão da felicidade”

Na escola todos os profissionais têm um planejamento com objetivos claros, de gestores a professores. Pode ser que o seu objetivo seja gerenciar equipes, formar e orientar professores, cuidar da saúde financeira da instituição, ensinar…, mas qual é o objetivo do aluno?

Ao passo que o profissional da educação vai para a escola com um objetivo claro, o estudante não chega até lá com o objetivo de “aprender”. Por este motivo, a gestão do cotidiano escolar também está muito relacionada com o que o aluno busca e o que a escola tem a oferecer. Nesse entendimento, o objetivo principal da instituição deveria estar ligado ao respeito à individualidade e às expectativas dos sujeitos para que a aprendizagem aconteça de maneira natural e significativa.

Por isso, a gestão do cotidiano escolar também pode ser entendida como uma espécie de “gestão da felicidade”. Mais do que desenhar um ótimo projeto administrativo e pedagógico, é estar realmente presente no cotidiano escolar, ser empático, receptivo, ouvinte, observador, curioso.

“Os alunos estão atingindo os objetivos educacionais da escola?” Mas também: “Os alunos estão felizes?” “Eles estão interagindo em um ambiente saudável e estimulante?” “Eles têm espaço para pensar, para falar, para brincar, para criar?” “A sua presença é valorizada?” “Eles se sentem confortáveis na escola?” “As normas fazem sentido para eles?” “Eles enxergam a importância e conseguem relacionar o conteúdo didático com a sua realidade?”

O cotidiano escolar é feito de conquistas, frustrações, pensar e repensar, ou seja, é um ciclo de evolução constante. O bom gestor não pode se enclausurar em sua sala e fechar os olhos para o que acontece no dia a dia. Ser gestor é não ter medo de mudar aquilo que pode até ser muito bonito na teoria, mas não funciona na prática. Este deve ser o mindset de quem trabalha com educação: aprender e evoluir continuamente.

De quem é a responsabilidade?

Agora que você já sabe o que é a gestão do cotidiano escolar, saberia responder de quem é a responsabilidade de realizar este trabalho na escola? As lideranças da instituição (diretores, coordenadores) possuem uma visão macro, o que lhes confere competência e autonomia para desempenhar este papel no dia a dia.

Mas na realidade a gestão do cotidiano escolar deve ser uma preocupação de todos. Se o gestor conseguir desenvolver uma cultura colaborativa, de feedback, de comunicação aberta e efetiva, todos podem contribuir indicando os problemas a serem resolvidos e os pontos que podem ser melhorados. Desta forma, o gestor tem insumos para tomar melhores decisões estratégicas e desenvolver planos de ação assertivos, visando sempre a evolução constante da escola e o bem-estar de alunos, familiares, professores e todos os envolvidos com o processo de ensino e aprendizagem.

Banner E-book O guia essencial do gestor escolar

O que você achou do texto? Como anda a “gestão da felicidade” na sua escola? Conte para a gente nos comentários!

Um agradecimento a Celia Bitencourt, Assessora Pedagógica do SAE Digital, pelos insights na elaboração deste texto.

Fernanda Andreazzi

Publicitária com um pé no jornalismo e outro no design. Apaixonada por livros e educação.

3 comentários

  • A Escola deve ser um espaço de leveza e transparência, onde cada componente que nela esteja inserida deve ter o sentimento de pertencimento. A cultura colaborativa é construída nas relações do cotidiano demonstradas no olhar de acolhimento.
    Parabéns pela matéria.

Baixe gratuitamente todos os materiais da BNCC!